Ainda que chova,

9 de fevereiro de 2013 § Deixe um comentário

Ah, são assim pessoas importantes. Mais do mesmo, menos o pior. Amigos.

Pessoas importantes. Nos tiram da cama, de casa e até da sala de aula. Com o
pretexto de tomar café, fazem cometer crimes pequenos, delitos ainda menores, ou mesmo
coisa pior. No pior e no melhor do que podemos. Me embriaguei, casei, curti, e apenas com
alguns poucos, persisti. Sejamos mosqueteiros, sejamos filósofos, sejamos qualquer coisa
que seremos Caraíbas.

Terra Paulis de Brasilis, conceda-nos uma bênção: a de termos em seu seio, pelo menos
um quinhão de paradeiro. Beberemos, cultivaremos, e seremos sempre assim. Se houver quem
nos discorde, que esteja longe e enriqueça. Que os abraços magros de quem traz a Caraibagem, encontre seu destino em um seio carinhoso. E, ao invés de solidão, tenha bagunça e confusão.

Teremos dias, noites, e teremos uns aos outros. Em dia de dezena carnavalisce, apenas um
será poupado. Mas aniversariamos os três, pra não haver nenhum culpado. Se tenho e prego
sentimentos, é porque Um Caraiba será sempre lembrado. Sorrisos, bebidas, alegria, diversão
e babaquices, apenas pra você não ficar chato, mesmo que se torne um burocrata, como eu.

Feliz idades Caraíbas! Alegrias de envelhecer crescendo!

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para fevereiro, 2013 em CONTRADITÓRIO.