Conquista, figura muda

5 de dezembro de 2009 § Deixe um comentário

 

Um passo de outono marcado da primavera de meu sorriso. Minha cascata quase dançante fez de minha imagem o flutuar de uma emoção sonâmbula. Sua imagem vai e vem. E eu, em minha própria falta de força, aparecendo a mim mesmo como catarse de sofrer agudo.

Circunflexo em minha moda de fracassado, me posicionei sofregamente no aguardo de mais de uma possibilidade. E, na contradição desse movimento, cheirando a leite, compro biscoitos para alimentar minha voracidade açucarada.

E, de onde menos esperava, vi uma luz que se me fez conseguir. Talvez fosse o momento, talvez algumas conquistas sejam apenas um mutirão de coincidências. Contudo, não há coincidência que possa dar lugar a todo o tempo de suor e sofrimento que, de advento, fez tomar mais que pouco tempo. Fez roubar conforto pelo que desejava.

E assim, como em recompensa, a conquista se apresenta. É o meu momento. Muito obrigado!

E assim, como em recompensa, a conquista se apresenta. É o meu momento. Muito obrigado!

Enfim, muda e quista: conquista!

Anúncios

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para dezembro, 2009 em CONTRADITÓRIO.