O pensamento das manifestações

29 de abril de 2009 § Deixe um comentário

É interessante, mas algo se me fez muito curioso nos últimos tempos, e não vou perder tempo com rodeios. Uma, e a primeira, é como se parece interessante a forma como manifestantes maltratam a avenida mais bonita de São Paulo, a avenida Paulista.
 
Numa manifestação pelos trabalhadores contra o desemprego, o resultado foi uma devastação… um mundo de papel lixo, etc… jogado pela avenida. O que acabou por atrasar ainda mais a retomada do trânsito após a manifestação. Não tem ninguém achando que a manifestação seja ruim, mas perde-se o crédito quando não se consegue nem controlar a própria massa manifestante.
 
Outro caso curioso, é o de sem-teto que se instalaram no antigo clube de bocha da Cidade Dutra, na zona sul de São Paulo chegarem ao próprio acampamento de carro. Não parece curioso?? É claro que cada um tem o direito de fazer o que quiser com seu dinheiro, inclusive comprar itens que aumentem o próprio conforto. Mas não parece um contra-senso? Afinal, muitas pessoas que moram em São Paulo, não tem carro, mas se esforçam para poder, pelo menos, pagar a moradia, seja ela alugada, ou de qualquer outro tipo.
 
Por fim, isso foi apenas um início, onde nem começamos a  dialogar, é só um temperinho, para que não passe desapercebido o quanto precisamos pensar de forma genérica, de forma integral, principalmente quando está sendo colocado em discussão algo já tomado como certo. Para se opor a uma idéia estabelecida, é necessário ter um rigor maior que o senso comum, caso contrário, manifestação será apenas um modo de provocar trânsito e enchente, e acampamento, apenas o que vem antes da Polícia Militar com um mandado de reintegração.

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para abril, 2009 em CONTRADITÓRIO.